Instituição ou Organismo

Muito temos ouvido a respeito das dificuldades e erros da chamada “igreja” institucionalizada, a alguns anos ouvimos discursos calorosos a respeito da forma em que caminham os cristãos de hoje.  Movimentos, pensamentos e literaturas surgem neste momento, onde de fato, vemos um êxodo de muitos jovens, famílias e lideranças, deixando as instituições, com o discurso de desejarem ser livres de jugos e ansiarem por uma restauração na chamada “igreja”. Em razão desses fatos, surge o questionamento:  O que esta acontecendo com a igreja?  E o que a palavra diz sobre isso?

Quero responder alguns pontos que são importantes para mim, talvez seja bom para você também. Pense comigo:

  • Quem é a igreja?  

Não é nenhuma novidade que a palavra “igreja” no original é Ekklesia, (Mateus 16.18) e quer dizer “chamados para fora”. É fato que, o princípio, que Cristo quis passar aos seus discípulos, é de que o evangelho deve ser manifestado, diariamente e profundamente, não apenas no ambiente de 4 paredes.

I Pedro 2.5 o apóstolo Pedro diz: “vocês mesmos, como pedras vivas, estão sendo utilizadas na edificação de uma casa espiritual para serem sacerdotes separados para D’us a fim de oferecerem sacrifícios aceitáveis a ele por intermédio de Jesus, o Messias”.

Efésios 2. 19 – 22 diz: “vocês não são mais estrangeiros nem forasteiros. Ao contrário, são concidadãos do povo de D’us e membros da família divina. Vocês tem edificado sobre o fundamento dos apóstolos e profeta, do qual a pedra principal é Jesus, o próprio Messias. Em união com ele, toda a construção é sustentada e está crescendo para se transformar em um templo santo em união com o Senhor. Sim, em união com ele, vocês têm sido edificados em conjunto para se tornarem um local de habitação espiritual para D’us!”.

 Todo homem e mulher que está em união com Cristo Jesus se tornam “material de construção” para a edificação da habitação de D’us. Somos pedras vivas em semelhança do filho de D’us que é a pedra angular (sustentação) da edificação.

 Portanto, a verdadeira Igreja é: “homens e mulheres que em união com Cristo crescem segundo sua sustentação, independente do lugar onde se reúnem”.

  • Organismo ou Organização?

A Bíblia descreve a igreja como um corpo composto de membros vivos, onde Cristo é a cabeça (Romanos 12. 4-5; I Coríntios 12. 12-27;  Colossenses 1.18,24; Efésios 5.23). Os verdadeiros membros da igreja, que é o corpo do Messias, nestes textos são apresentados como um organismo vivo, móvel, não estático.

De forma alguma, em qualquer lugar das escrituras, veremos a “igreja” como uma organização, ou seja, como um sistema, uma forma de se fazer. Pois as escrituras não nos ensinam como fazer igreja, ela nos ensina como ser a igreja, todavia, as escrituras não nos impedem de organizar, no sentido de ordem, de fazer com excelência, de ser melhor, arrumar, compor, disciplinar. O que não podemos fazer é colocar a forma, o sistema de se fazer como modelo absoluto, fechado e acima da centralidade em Cristo, a concentração de nossos esforços deve estar em ser a igreja, em viver a igreja.

  • Reunir no templo ou na casa?

Onde os primeiros cristãos se reuniam? Havia um templo, uma sinagoga, ou algum lugar especial?

Atos 2.37-47; 4.31-35; 6.7; 9.31; 16.5; –  Os primeiros cristãos não tinham ainda uma estrutura definida de reuniões, métodos, ministérios altamente organizados, prédios construídos, mas experimentaram a verdadeira natureza da  Igreja. E era de acordo com essa natureza que eles se congregavam!

Existem algumas questões nas escrituras, que é interesse de nós homens e mulheres, definirmos o que é correto. Esta é uma delas. Queremos chegar a um ponto e dizer: o correto é no templo ou o correto é na casa. Fato é que essa definição, pouco interessa para o Senhor nosso D’us.  O que interessa para Ele é o porquê e para quê estamos reunidos.

Sabemos que a instituição chamada “igreja” apresenta hoje muitas falhas, muito entretenimento e superficialidade, todavia vemos a mesma coisa nos que se reúnem fora dos templos.

“O grande problema em relação ao templo é que se começou a considerar o templo como um LOCAL ESPECIAL E SUPERIOR AOS OUTROS, nos moldes das religiões existentes… Ao mesmo tempo, o líder da Ekklesia…  começou a ser considerado “superior” aos demais irmãos….  e denominado por títulos. O Senhor havia ensinado que todos somos irmãos e que não deve existir nenhuma hierarquia humana nem tentativa de assumir a direção da Igreja, mas sim uma comunhão baseada no serviço, considerando os outros como superiores a nós mesmos (Lucas 9.46-48, Mateus 20.26-27). Também ensinou que não devemos conhecer as pessoas pelos seus “títulos” religiosos (Mateus 23:8-10)”. (Retirado do site http://www.projetoomega.com/ekklesia3.htm)

Fato é que historicamente a questão do templo foi implantada devido a interesses humanos. Veja o que três credenciados historiadores eclesiológicos da atualidade dizem:

Em Historical Approach to Evangelical Worship (Uma Abordagem Histórica da Adoração Evangélica), página 103 e em History of the Christian Church (História da Igreja Cristã): Volume 3, página 542, SCHAFF escreve: “Depois da cristandade ser reconhecida pelo estado e autorizada a ter propriedades (pós-Constantino), ela passou a erigir templos de adoração em todas as partes do Império Romano. Provavelmente havia mais edifícios deste tipo no século IV do que houve em qualquer período da história, exceto talvez, no século XIX nos Estados Unidos…”.

Em To Preach or Not to Preach? (Com ou Sem Propósitos de Oração), página 29, NORRINGTON diz que: “Na medida em que os Bispos dos séculos IV e V cresciam em riqueza, eles canalizaram tais riquezas através de um elaborado programa de construção de templos de Igrejas”.

Em Early Christians Speak (O Falar dos cristãos Modernos), página 74, FERGUSON afirma que: “Até a ascensão de Constantino não encontramos nenhum edifício especialmente construído para a reunião da igreja, ela se reunia em casas simples ou casas adaptadas; após a ascensão de Constantino, as construções começaram: primeiro simples salões, depois basílicas e finalmente grandes catedrais foram erigidas”.

Todavia as Escrituras não condenam o culto em templo, o uso de instrumentos, sons de qualidade, eventos e tais coisas, desde que tudo seja feito em primeiro lugar, em concordância com o que o Espirito Santo deseja e segundo para o crescimento e desenvolvimento de todos os homens e mulheres.

Não creio que o Senhor Jesus deseja que retornemos à maneira da comunidade primitiva e dessa forma despreze todo o crescimento e aprendizado que a “igreja”, alcançou nesse longos anos. A história avança e o evangelho também, com sua simplicidade e relevância, mas avança, para o “modelo” que o Espirito Santo guia seus homens e mulheres. Somos a igreja do apocalipse. Igreja onde Cristo é adorado, o centro, o desejo e a espera.

Entendo que maturidade no Reino, é dentro de uma instituição ou fora de uma, servir ao Senhor com inteireza, verdade e intensidade, honrando assim, sua vontade absoluta. E apesar dos títulos, posições e templos servir os mais fracos, colocando-nos sempre na posição de ser o menor.

   

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s